Boletim ABPES – Junho/2016

Está no ar o primeiro boletim informativo da ABPES

Download emboletim-abpes-2boletim-abpes-2

Nota Pública

A ABPES lamenta profundamente o nacional e internacionalmente muito questionado afastamento da presidente da República Dilma Rousseff e o término das atividades da SENAES – Secretaria Nacional de Economia Solidária, que era coordenada desde 2003 pelo Prof. Paul Singer. Esperamos que o Brasil volte logo a ter um governo legítimo e democraticamente eleito.

André Ricardo de Souza

Presidente da ABPES

Em defesa dos direitos constitucionais

A ABPES – Associação Brasileira de Pesquisadores de Economia Solidária, entidade existente desde 2005, formada por 69 docentes e demais cidadãos dedicados à pesquisa científica em 14 unidades federativas e mais três países (Bélgica, França e Portugal), torna público este manifesto em defesa dos direitos constitucionais. Acreditamos que a Justiça seletiva, simplesmente não é justa, mas sim arbitrária e que a violação de direitos constitucionais é sempre danosa, sobretudo, aos mais vulneráveis na sociedade. Por causa dela, por exemplo, apenas cidadãos materialmente pobres, mas inocentes, são espancados e assassinados pela polícia. Lembramos que alguns periódicos internacionais afirmam ser violação de direitos o grampo (e sua divulgação) de uma presidente que não é investigada. Pensamos que a destituição da presidente pode prejudicar a imagem do Brasil como um país formalmente comprometido com a democracia e o Estado de direto. Aliado a isso é o fato de a grande maioria dos juristas, não só no Brasil, apontar ser ilegal grampear a conversa de uma pessoa com seu advogado de defesa, tal como foi feito com o ex-presidente Lula. Tais fatos poderão levar a um grande descrédito do nosso Poder Judiciário, o que é de fato muito perigoso. Temos, de um lado, o ex-presidente Lula, que nem é réu do Supremo Tribunal Federal (STF), sofrendo grande pressão jurídico-política e midiática, enquanto, do outro, o processo de impeachment está sendo conduzido, na prática, por Eduardo Cunha, que além de réu do STF, tem muito mais acusações, além dos indícios evidentes de corrupção. Ainda que o governo Dilma tenha descumprido compromissos de campanha, nada justifica a transgressão (célere) de direitos constitucionais para destituí-la do cargo. Afirmamos que isso, na verdade, é uma tentativa de golpe civil. Acreditamos que é hora de resistir à violação de direitos constitucionais e fazer defender o Estado democrático de direito para que o país não menospreze um caminho de desenvolvimento justo, solidário e pacífico.

Nota de repúdio

“A Associação Brasileira de Pesquisadores de Economia Solidária defende a investigação de todos os casos de corrupção, sobretudo os mais graves, mas repudia veementemente todo ato arbitrário da parte das autoridades judiciais e policiais deste país”.
André Ricardo de Souza – Presidente da ABPES

CLACSO – Nota de repúdio às tentativas de desestabilização da democracia no Brasil

El Comité Directivo y la Secretaría Ejecutiva de CLACSO expresan su más enfático repudio a las maniobras de desestabilización del orden democrático en Brasil.

La democracia en Brasil, como en toda América Latina, ha sido una ardua y casi siempre dolorosa conquista popular. Nuestros pueblos lucharon y siguen luchando día a día para que la institucionalidad democrática se imponga a los intereses, los atropellos y las arbitrariedades de los grupos de poder político, económico y mediático, que siempre han cuestionado o ignorado los gobiernos populares y los derechos de las grandes mayorías.

El pueblo brasileño se expresó democráticamente en las urnas hace poco más de un año, eligiendo un gobierno que hoy pretende ser despojado de su mandato por maniobras sin peso jurídico o constitucional.

Frente a esta inaceptable situación, y como siempre lo ha hecho, CLACSO expresa su más vehemente rechazo al golpismo en cualquiera de sus formas. Nos sumamos al amplio conjunto de organizaciones políticas, sociales y académicas que, dentro o fuera del país, expresan su firme solidaridad con el gobierno brasileño. Estamos atentos y movilizados para defender la democracia donde quiera que sea.
Buenos Aires, viernes 4 de diciembre de 2015​

  • El Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO) es una institución internacional no-gubernamental con status asociativo en la UNESCO, creada en 1967. Actualmente, reúne 481 centros de investigación y posgrado en el campo de las ciencias sociales y las humanidades en 37 países de América Latina, Estados Unidos, Canadá, Alemania, España, Francia y Portugal.

http://www.clacso.org.ar/difusion/Comunicado_CLACSO_Brasil_2015/comunicado.htm

ABPES no IV Congresso e Seminário da UNISOL BRASIL

Prestigiamos a solenidade de abertura do 4° Congresso da UNISOL BRASIL.

O congresso comemora uma década da criação da UNISOL BRASIL quando, 2005, os cerca de 80 empreendimentos fundadores da UNISOL buscavam construir uma estratégia de organização, articulação e  representação formal dos empreendimentos da economia solidária brasileira.

Atualmente mais de 800 empreendimentos solidários são filiados à UNISOL, que está organizada em setoriais e discute neste congresso, entre diversos outros desafios, as possibilidades de federalização, aos moldes do que já existe em São Paulo, Estado que conta com a UNISOL SP desde 1999.

O congresso da UNISOL foi aberto por Arildo Mota Lopes, que compôs a mesa de abertura, tendo Leo Pinho como mestre de cerimônias. A mesa contou com representantes dos parceiros internacionais da UNISOL, tais como o CONOSUD (Barcelona – Espanha), a CECOSOL (Quebec – Canadá), a Nexus Emilia Romagna (Itália), a Fecootra La Plata (Argentina)  e a Cicopa Mercosul. Também participaram da mesa representantes de instituições nacionais, como a recém criada UNICOPAS (que congrega a UNISOL, a CONCRAB e a UNICAFES), a Fundação Banco do Brasil, o Sesi e o Sescoop. Estiveram presentes à mesa também políticos e personalidades públicas, entre elas o Senador Eduardo Suplicy, atualmente na Secretaria de Direitos Humanos da PMSP, o sindicalista Artur Henrique Silva Santos, atualmente na Secretaria do Desenvolvimento Trabalho e Emprego da PMSP e o também sindicalista Teonílho Barba, Deputado Estadual (SP) pelo Partido dos Trabalhadores.

Desejamos sucesso aos trabalhadores e convidados participantes do congresso, que segue até sexta-feira 27, com transmissão ao vivo pela TVT: http://www.tvt.org.br/evento/

I CONPES – Congresso de Pesquisadores de Economia Solidária: “Desafios globais do trabalho com mediação solidária”

O I CONPES – Congresso de Pesquisadores de Economia Solidária: “Desafios globais do trabalho com mediação solidária”, propiciou exposição de dados investigativos e intercâmbio entre pesquisadores de economia solidária, temática que abrange entre outros pontos: Trabalho, Cooperativismo, Autogestão, Desenvolvimento territorial e Políticas públicas de geração de trabalho e renda.

O Congresso foi organizado pela Associação Brasileira de Pesquisadores de Economia Solidária (ABPES) e pelo Núcleo Multidisciplinar e Integrado de Estudos, Formação e Intervenção em Economia Solidária (NuMI-EcoSol-UFSCar), contando com apoio dos programas de pós-graduação da UFSCar: Sociologia (PPGS), Graduação Ciência, Tecnologia e Sociedade (PPGCTS) e Terapia Ocupacional (PPGTO).

A ABPES realizou em 2012 seu segundo encontro nacional, reunindo 83 pesquisadores e fazendo sua 4ª Assembleia Geral. Houve apresentação de técnicos de órgãos públicos e ONGs, bem como de pós-graduandos e doutores de 29 instituições de ensino superior, abrangendo 10 unidades federativas das cinco regiões do país.

Em 2015, o evento foi mais amplo e pela primeira vez internacional, se caracterizando ainda mais como reunião científica e recebendo outra denominação: I CONPES. Este congresso contemplou diversos aspectos do universo empírico de empreendimentos econômicos associativos e das políticas públicas voltadas para eles, sobremaneira na América Latina e na Europa. Reunindo ao todo 191 pesquisadores, houve mais uma vez apresentação de trabalhos de técnicos de órgãos públicos e ONGs, assim como pós-graduandos e doutores de 58 instituições diferentes, sendo 52 brasileiras e 6 estrangeiras, de: Argentina, Espanha, Chile, Portugal e Uruguai. Entre os autores brasileiros, participaram representantes de 41 universidades diferentes, de 15 unidades federativas das cinco regiões do país.

Durante o I CONPES, aconteceu a 5ª Assembleia Geral da ABPES que marcou seus 10 anos de existência e, entre outas coisas, deliberou a realização do II CONPES na Universidade de São Paulo, campus de Ribeirão Preto, no primeiro semestre de 2018. Até o II CONPES, a ABPES espera realizar eventos regionais preparatórios.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 360 outros seguidores